America do Sul

Vinícolas no Mercosul: Como são?

As Vinícolas no Mercosul são muito destacadas pela sua qualidade e quantidade da produção. Muitas delas estão abertas ao público e oferecem produtos e serviços variados. Ano passado em menos de 40 dias estive visitando vinícolas no Mercosul na Argentina (Mendoza), Chile (Santiago) e Brasil (Bento Gonçalves). Vou comentar um pouco sobre elas.

deu saudade viu?

Em Mendoza eu estive em muitas vinícolas e nas 3 regiões produtoras, mas gostaria de destacar a Trapiche, SinFin e Zuccardi que ficam na região de Maipú. Visitei essas 3 no mesmo dia, em um passeio feito por agência. Em comum elas têm o capricho com a recepção dos visitantes, dão ênfase ao terroir e à história da vinícola e dos vinhos em Mendoza. Na Zuccardi almocei deliciosamente.

Essa era só a entrada, preparada especialmente para mim sem carbo.

Todas as visitas são pagas e incluem degustação de 3 a 4 tipos de vinho. Nas degustações se explica sobre como apreciar e combinar o vinho em questão.

essa é uma vinícola biodinâmica. Muito interessante.

É bastante comum nas plantações de uva da Argentina que se produzam também azeitonas. A vista para os olivais é sempre inesquecível.

Você já viu de onde vem a azeitona?

Cabe ressaltar que muitas vinícolas em Mendoza combinam visitação com almoço, outras com passeios à cavalo como a Krontiras na região de Luján de Cuyo.

Minha uva favorita do momento.

Cabe salientar a outra região produtora de Mendoza, Valle de Uco e a Andeluna que é a mais linda das Vinícolas no Mercosul, segundo eu mesma, pois está de frente para a cordilheira dos andes… Lindíssimo visual.

Com a cordilheira ao fundo. Que lindo.

No Brasil é bastante difícil falar em produção de vinhos e não falar em Bento Gonçalves né? Eu gosto dessa região da serra, ela é belíssima. Lá pude visitar duas vinícolas e e provar produtos diferentes.

Sem palavras!

Estive no Wine Garden da Miolo, que é isso mesmo: um jardim para relaxar, ouvir música, petiscar e… beber vinho. Tem um por do sol arrasador. Isso quer dizer que não visitei a produção de vinhos propriamente dita, estava em uma viagem com amigas e queríamos curtir com calma as coisas. Super recomendo o Wine Garden tá?

Quem quer um petisquinho de fim de tarde?

Depois fomos na Casa Valduga, que é uma das mais sofisticadas da Serra. Contudo, a visita em si segue bastante bem o padrão das brasileiras: ênfase na produção, percorrendo boa parte dos setores produtivos com detalhadas explicações; conta a história da família e da produção de vinho no Brasil; degustação; loja de vinhos e produtos variados com esta temática. Delícia, sim ou com certeza?  Para mim, o plus desta foi a última degustação ter sido feita com espumante e de frente para um parreiral com um céu azul absurdo. A visita é paga.

Ah mas eu tava descabelada mas feliz! cheers

Em minha última viagem ao Chile eu visitei apenas a Concha y Toro – massiva sim, mas icônica e belíssima. Mas também estive na Veramontes que vale bastante a pena a visita. A CyT dispõe de visitas em espanhol, inglês e português (essa foi uma das razões de ter optado por esta, mesmo já conhecendo de outras viagens, pois não ia sozinha e minhas acompanhantes não falam espanhol), além do mais dá para ir de transporte coletivo ou uber facilmente desde Santiago. Ou seja: é massificada sim, mas o vinho é bom, o lugar é bonito e as coisas são fáceis. Deus sabe como o Chile pode ser complicado para não chilenos.

Não dá para dizer que não é bonito né?

Bem, a visita consiste de caminhadas pela propriedade (que é linda viu?) para contar histórias e anedotas da CyT, destaque para um jardim com parreiras de diferentes espécies com um visual bonito mesmo em dias nublados e degustação em diferentes paradas desse passeio. Lá tem restaurante e loja com muitos produtos. A visita é paga e deve ser agendada antes.

Capricha nessa taça pro vinho compensar o nublado do dia

Fazendo uma comparação geral dos estilos das vinícolas no Mercosul: as medocinas ganham de longe na paisagem natural, na simpatia das pessoas e na comida. As gaúchas primam por explicar sobre a produção do vinho e as lojas são muito completas. A(s) chilena(s) ganha na organização turística. Estou pronta para voltar para Bento e para Mendoza a qualquer momento e levantar muitos brindes.

Casa Valduga, tudo muito fino

E você, conhece vinícolas no Mercosul? Que compartilhar conosco suas percepções? Tim Tim.

na CyT

Além de vinícolas no Mercosul já estive em algumas na Europa mas não tem post (fuén fuén), mas sobre Napa Valley sim. Clica aqui e veja o que fez minha cabeça nas vinícolas da Califórnia.

Curtiu? Então Comenta! Compartilha! Faz uma blogueira feliz!
Já segue o @comendochucruteesalsicha no Instagram? Lá você acompanha tudo em tempo – quase – real.
E você já curtiu a página do facebooK? Curte lá!

Ai que linda que é a Serra Gaúcha!
Mostrar Mais

Posts Relacionados

16 Comentários

  1. Oba, dicas anotadas. Bento é pertinho daqui e Mendoza está na minha lista de desejos para realizar em breve. Amei suas fotos. Que dias tão belos. Queria saber mais sobre o vinho biodinâmico. Tem um post só sobre o assunto? Fiquei curiosa. Bj.

  2. Quero muito visitar Mendoza e suas dicas estão ótimas. Lugares belíssimos que combinam muito com um vinho docinho ! Acredita que não posso tomar vinho que me dá uma super enxaqueca ? beijocas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close