America do Sul

Santiago do Chile: a segunda chance de rolar bossa

 

Eu sempre digo que ex bom é ex morto. E sabem por que? Oras, porque voltar com um ex é de certa forma dizer a você mesma quais foram seus erros, e que você continua errando… Então, melhor cada um seguir seu caminho, correto? Algumas pessoas riem quando digo isso, mas eu falo super sério. E penso que quase todos devem estar se questionando por quê eu tô falando sobre isso quando deveria estar falando sobre Santiago do Chile (SCL pros mais chegados)…. Bem, para começar a conversa, SCL é quase uma ex para mim… risos. E estou falando em ex por ter sido essa a segunda viagem para lá, e como não gostei da primeira pensava que a cidade merecia uma segunda chance de me encantar. e Pim: dei a segunda chance que julgo era merecida.
Na primeira vez que fomos, em 2008, super bem acompanhados dos nossos queridos Chasconos, visitamos além da capital a Concha y Toro, Valle Nevado, Valparaíso e Viña del Mar. Todos esses lugares fora da capital me encantaram muito mais do que a urbe propriamente dita. Mas não foi isso (urbe) que desgostei naquela ocasião: as pessoas me(nos) chatearam muito e a comida era uma coisa de ruim!
Dessa vez fomos somente Alessandro e eu, ficamos apenas em SCL (exceto a um dia de passeio em Sewell que merecerá post a parte).
O obstáculo da comida ruim foi vencido! Oba: comemos super bem! Mesmo!!! Apenas no maior pega-turista da cidade, no Mercado Central (onde na viagem 1 comemos duas vezes e mal e caro) comemos meio mal… o restante, uau…. foi comida peruana, patagônica, japonesa, árabe, chilena, cachorrinho quente, vinhos excelentes, carnes cozidas bem simples…. Wow tudo delícia! Sem queixas.
Desde o badalado e conhecido dos turistas Patio Bella Vista, no bairro homônimo, até a praça de alimentação externa do shoping Parque Arauco, passando pelo encantador bairro boêmio Lastarria, ou pequenos restôs no centro da cidade…. Tava tudo gostoso!!! Ponto alto: comida peruana!
A cidade continua bonita, organizada, limpa, segura, com metrô eficiente e bonito, com trânsito que dá para encarar, monumentos e parques por todo lado. Mas ainda me parece um retrato em preto e branco… e… ainda vou morrer dizendo….
UMA CIDADE SE FAZ DE PESSOAS.
Desculpa aí se tem gente que viaja sem interagir com os locais, se tem outros que não falam idiomas e perdem muito da percepção fina de cultura local, ou ainda os que passam batido mesmo por tudo isso… Eu boto reparo nisso: se um garçon sorri ou não, se sabe calcular 10% de gorjeta ou calcula 12% achando que ou eu não sei fazer conta ou eu fiquei muito satisfeita com o atendimentozinho dele, se no geral as pessoas fazem um mínimo de esforço para entender o que o outro fala, se os taxistas são cordiais ou te recebem no carro fumando e com o som ligado com alto volume e tudo bem, se as agências de viagem que comercializam produtos internacionais como um patrimônio da humanidade (caso de Sewell) exigem pagamento antecipado para confirmar o passeio mas disponibilizam apenas forma de pago para quem tem uma conta bancária no país, e etc…. E tudo isso acontece o tempo todo no Chile, ou ao menos em SCL. a clara impressão que tive há 4 anos, tenho agora e isso foi confirmada por amigos mexicanos e uma companheira de espera em aeroporto argentina é: a Cordilheira dos Andes isolou culturalmente esse pessoal, fazendo com que eles fossem um pouco avessos ao estrangeiro, ou inflexíveis, ou frios… não se sabe precisar a expressão que melhor descreve o que se vive/vê/sente. Mas não é um sentimento de boas vindas.
Sem embargo falando em Cordilheira… esse também é um ponto alto, bem alto, literalmente alto das visitas a cidade: não importa o quanto você esteja ou não acostumado ao Chile e aos chilenos, às viagens… ver essa cadeia é sempre impressionante e sempre eclipsa tudo de ruim. Amo.
Claro, talvez outros tenham opiniões distintas, essa é a minha. E é por isso que digo: ex bom é ex morto. Para mim SCL só em 4 anos e ainda de passagem para visitar outra parte do país.
Mas, o passeio não foi apenas de dissabores. Além do ponto alto gastronômico, quero mencionar outro ponto positivíssimo da viagem e sem dúvida um dos momentos mais emocionantes: a visita ao Museo de la Memória y de los Derechos Humanos.
Uau, é lindo, é impressionante, é impactante! Para começo de conversa ele é acessível diretamente da estação de metrô, segundo cabe dizer que ele é super bonito, moderno e interativo: coisa fina e high tech mesmo. depois quero mencionar que seu acervo sobre a ditadura chilena e suas vítimas é muito, mas muito impressionante. São vídeos, fotos, discursos, mapas, posteres, cartas… tantas coisas que tentam contar e exprimir o que foi a ditadura Pinochet naquele pequeno país… Um tapa na nossa cara, brasileiros que nem sabemos mais tratar sobre esse tema, que nem sabemos mais discutir política direito, que apenas conseguimos instaurar uma comissão da verdade… Mas queremos tchu… sei lá, eu saí de lá muito impactada e muito mais interessada em visitar a ESMA em Buenos Aires e o Dops em São Paulo para comparações possíveis.
Outro ponto alto, risos… foi ter jantado em Puerto Madero na terça-feira. Sim… Puerto Madero Buenos Aires. nosso voo ficaria algumas horas em conexão lá bem en la hora de la cena… então por que não né? hahahah E além disso a Lan Chile dentro da Argentina que tem serviço de bordo com petiscos da Havana… ahhh que delícia! (nossa que gulosinha, só falando em comida né?)
Outros dois bonitos lugares que visitamos foi o centro cutural GAM e a estação central Mapocho (outro centro cultural). Ou seja: Apesar de tudo, SCL é um ‘cidadão’, cheia de coisas legais para fazer e curtir…. mas eu tenho ressalvas! 😉
Vamos ver fotos?
próximo post Sewell!

No bairro boêmio de Lastarria, tão bonito e agradável. feliz descoberta!
a catedral metropolitana na Plaza de Armas
sentadinha numa xícara numa estação de metrô. aqui tinha internet free, mas só para chilenos: tinha que por o numero do RUT (Rg deles…. abafa)
pessoal  curtindo um solzinho de frente pro Palácio de la Moneda
a linda cordilheira…
a linda cordilheira e a horrível polícia montada
 
no Mercado Central de Santiago

Lá o forte são os peixes e frutos do mar

Opa, foto fora de ordem… deveria ser a última, mas ainda apanho para postar no MAC…. eu no Puerto Madero… 😉
centro cultural GAM
 Museo de la Memoria – somente fotos externas mas entrada gratuita!
Etiquetas
Mostrar Mais

Posts Relacionados

6 Comentários

Botão Voltar ao topo
Fechar