America do Sul

Espacio Memoria – Buenos Aires

O Espacio Memoria é definitivamente um lugar fora dos roteiros turísticos convencionais de Buenos Aires, é uma instituição gerida pela secretaria nacional de direitos humanos que se dedica ao fomento da memória dos presos, desaparecidos e mortos pelo chamado terrorismo de Estado impetrado pela ditadura cívico militar argentina (1976-83).


Originalmente era uma escola de formação da marinha, e durante os anos de chumbo o lugar que se chamava ESMA (Escuela Superior de Mecanica de la Armada) serviu como prisão clandestina. Hoje o Espacio Memoria conta com 12 hectares de área totalmente destinado à causa dos direitos humanos. São diferentes instituições ali alocadas com uma densa programação cultural e educacional à disposição e totalmente gratuita.

Deste estacionamento chegavam os novos presos e também saíam para os voos da morte.

A cereja do bolo de todo o Espacio Memoria são os passeios denominados Recorrido Histórico que é, como o nome indica, um recorrido guiado por todo o espaço com contextualização histórica, política, geográfica, econômica e social do período em que esteve sob comando dos militares.

Parece realmente incrível, mas ali nasciam – e eram sequestradas – crianças (40 no total)

E o outro é a visita ao que se chamava Casino de Oficiales que era onde se situava propriamente a prisão, sendo um passeio guiado com muitos detalhes dos diferentes usos que o espaço tinha no que dizia respeito às prisões, torturas, partos, voos da morte, sequestro de bebês, trabalhos forçados e etc.

São muitos vídeos além do guia presente.


De maneira geral, embora o lugar seja especialmente bonito, não é um passeio agradável. Ele é denso e profundo, emocionando a todos, mas bastante necessário para a educação sobre os direitos humanos e para honrar a memória dos que ali estiveram contra sua vontade. Além do mais, essa é uma ferida ainda aberta na sociedade argentina, e o Espacio Memoria não é o único centro de prisão política aberto a visitação no país. E além do mais, conhecer um pouco sobre isso é importante para entender um pouco da organização social do país (outros dois temas flagrantes para isso são a imigração e o peronismo, para se ter uma ideia, nesta viagem eu fiz 5 passeios guiados e em 4 falou-se nesses 3 temas).

Exposições temporárias e maquetes.

As visitas devem ser agendadas e todos os detalhes e um montão de outras informações estão no link no começo do texto.

São muitos edifícios, todos eles dedicados aos direitos humanos

Curtiu? Então Comenta! Compartilha! Faz uma blogueira feliz!


Já segue o @comendochucruteesalsicha no Instagram? Lá você acompanha tudo em tempo – quase – real.
E você já curtiu a página do facebooK? Curte lá!

Sinalização na calçada. Outros pontos da cidade têm essa placa.

Salvar

Salvar

Etiquetas
Mostrar Mais

Posts Relacionados

14 Comentários

  1. Como não poderia ser diferente, falar dessa cidade pra vc, filha é mais que jogar flores merecidamente….
    É sempre melancólico vistar lugares sombrios com recordações nada agradável..
    Mas, é necessário para que essa amargurada passagem, não se repita, deixando uma marca profunda na sociedade moderna….Ficará sempre nas mentes humanas e para assuntos educacionais.
    Gostei muito de vc mostrar esse lado que é esquecido mas, presente no seio dos Argentinos, fazendo hj parte das historias tristes de uma nação….
    Beijuuu Filhota

  2. Deve ser muito impactante e ao mesmo tempo emocionante visitar um lugar assim. Eu gosto de conhecer. Fico pensando que é importante divulgarmos esses lugares que falam da história do país.É preciso preservar, contar pra nunca mais acontecer.
    Excelente dica,beijocas

  3. Que interessante! Não sabia desse lugar quando fui a Buenos Aires. Com certeza adoraria conhecer, sou fascinada em história e adoro programas desse tipo. Na próxima viagem a capital dos “los hermanos” faço questão de conferir de perto.

    Obrigada pela dica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar