Europa

Como comprar Jamón espanhol

O Jamón Ibérico é mais do que uma iguaria na gastronomia espanhola, é um patrimônio e assunto muito sério por lá. É bastante farta a oferta de jamón em bares e restaurantes e após provar uma e outra vez você vai sonhar em comprar algumas gramas dessa delícia, e verá que nos supermercados e delicatessen por toda Espanha há muitas opções de preços variados. E aí, como escolher?

Bem, vamos começar explicando que o jamón é uma pata de porco curada (sim, você vai ver muitas patas dessas penduradas pelos bares das cidades) da Raza Ibérica, e para ser considerado jamón ibérico ele deve ser de um animal com pelo menos 50% dessa raça – e aqui é a primeira dica de compra. Quanto mais pura for a raza melhor o sabor e também mais caro será o jamón. Mas acredite, vale muito a pena provar o 100%. O sabor adocicado da gordura equilibra muito bem na boca com o sal e desce como um veludo.

Além do mais os porcos são criados livremente em região de montanha e têm uma dieta a base de bellota, ou bolota em português. O processo de cura leva até 48 meses. Daí também advém seu valor monetário.

A partir de 2014 o jamón passou a receber uma classificação quanto à sua qualidade (vai vendo como o assunto é levado com muita seriedade): etiqueta branca – Jamón de Cebo Ibérico de produção intensiva e criado com ração a base de ervas e legumes; etiqueta verde – Jamón Cebo de Campo Ibérico cuja produção é similar à anterior, mas o animal é criado nos prados; etiqueta roja – Jamón de Bellota Ibérico são de raza ibérica mas não 100%, além do mais são alimentados também com bellota; e etiqueta negra – Jamón de Bellota 100% Ibérico são de raza pura ibérica, alimentados majoritariamente com bellota e os únicos que podem ser denominados Pata Negra (a mais alta categoria que pode ter um jamón espanhol).

Além disso existem algumas Denominações de Origem (DO) do jamón ibérico na Espanha: Jabugo (Aracena, Huelva na Andaluzia); Los Pedroches (Córdoba na Andaluzia); Guijuelo (em uma região de confluência de Castilla y León, Extremadura, Andaluzia e Castilla-la Mancha); e Dehesa de Extremadura (Extremadura).

Na Espanha você vai poder provar jamón em porções (tapas que são as menores, media ración intermediárias ou ración as maiores) ou em croquetes. Em todas dá para combinar com vinhos ou cerveja. Confie na dica dos garçons sobre quais vinhos ou quais acompanhamentos escolher. Não tenha medo, pois não tem como dar errado. Eu gosto de pedir com uma porção de azeitonas, grão de bico com espinafre, salada de pimentão ou aquela que eu tiver com mais vontade (hehhhehe) sempre dispensando o pão porque eu simplesmente não sou fã. E ah, fica a dica: em toda e qualquer refeição se consome jamón, inclusive tenho um amigo que pede uma tapa de jamón de sobremesa. Adoro!

Quando você estiver no supermercado deve primar pelas seguintes características: percentual de raza ibérica; alguma DO ou não, o presunto não ser de DO não vai implicar em menor qualidade necessariamente; o tipo da etiqueta conforme expliquei anteriormente; se está embalado à vácuo para melhor conservação e suportar adequadamente a viagem – mas se você vai consumir no mesmo dia em um pic nic por exemplo não precisa ter este tipo de embalagem; e se cortado a mão (o calor da lâmina da máquina altera o sabor e a cor do jamón). Comprar a peça toda só se você tiver as manhas de cortar e a certeza de que vai consumir rapidamente (elas duram até um mês com os cuidados adequados).

Aproveite e compre umas cunhas de queijo de ovelha ou de cabra (meus favoritos). Junto com o jamón, uns frutos secos e um bom vinho você tem um jantar delicioso. E claro, pode me convidar sempre.

Deixe fora da geladeira apenas o tempo necessário da viagem ok? Chegando em casa direto para refrigerar de novo e algumas horas antes de servir tire para que os pedacinhos se soltem uns dos outros com facilidade.

Anteriormente esse tipo de produto tinha seu ingresso proibido no Brasil, há alguns anos isso mudou (viva) e dá para trazer jamón, queijo, doce de leite (alô saudade). Veja aqui. Então de posse de todas essas informações eu só posso dizer que: se joga!

ops, parece que eu quis muito provar essa nova liberação! trouxe algumas delícias de minha última viagem!

Você já provou jamón ibérico? O que achou? Conta aqui para mim e vamos trocar ideias e até receitas.

Ah, este link é de um post índice com todos os que eu já escrevi sobre a Espanha. Tem bastante coisa tá?

Você já segue o Comendo Chucrute e Salsicha pelo instagram? Opa: @comendochucruteesalsicha

E já curtiu a página do blog no Facebook?
Acompanhe tudo lá em tempo (quase) real!

Mostrar Mais

Posts Relacionados

12 Comentários

  1. Poli, provei sim! Amo demais da conta! kkkk Morro de saudade do cheiro daqueles empórios na Espanha.
    Achei super interessante a classificação! Quando fui pra lá, eles falavam da quantidade de “jotas”, e o 5 jotas era o mais “topper”, acho que corresponderia ao etiqueta negra, né? Ai, salivando com a remessa que você trouxe na mala. Ainda sobrou alguma coisa em Irati? kkkk

    1. Ai nem fale do cheiro dos empórios . Eu sou a louca do cheiro né? Sim, ainda tenho cositas que trouxe de lá, vou economizando nas delícias para saborear a saudade por mais tempo. hahaahaha

  2. Geeente, que dica maravilhosa! Eu adoro jamon mas confesso que não sei como escolher quanto tem vários. hahha! Por isso adivinha? Já favoritei seu post! Quando for a Espanha já vou saber escolher da família inteira. hahah!

  3. Eu agradeco todo dia o fato do México ainda ter muitos tracos espanhóis na cultura, principalmente na culinária. A oferta de restaurantes espanhóis aqui é imensa e o jamon é muito comum!!!! Amo, principalmente com melao. 🙂 Posso viver disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar