América do Norte

Cidade do México: Museu de Antropologia e Castelo de Chapultepec

Esse ano é nossa segunda visita a Cidade do México, mas o post anterior dedicado à primeira ficou fraco e em nada fez justiça a esse país tão bonito. Agora viemos novamente a trabalho e antes dele uma passeadinha que ninguém é de ferro. De modo que à guiza de promover justiça ao México, suas atrações e seu povo pretendo escrever uma série de posts sobre nossa visita, assim os relatos ficam mais frescos e os detalhes menos diluídos.
Chegamos ontem na Cidade do México, muito cansados depois de um vôo madrugador com parada no Panamá. Após nos instalarmos no hotel, nas imediações da avenida Paseo de la Reforma (tem sido meu lugar favorito na capital, desde a primeira visita), e almoçarmos precisávamos descansar um pouco. Mas só um pouco, pois um cadim depois já estávamos com o pé na rua dando uma caminhada pela avenida.
Passamos pelo belíssimo monumento do Ángel de la Independencia, e até deu tempo de entrar no Bosque Chapultepec rapidinho, pois fechava as 18h e já era quase isso. O tempo de voltar pro hotel e jantar no caminho comida típica de Oaxaca, cair na cama e desmaiar.
Com o amanhecer um novo dia de passeios… novamente tomamos a Av. Paseo de la Reforma no sentido do Bosque de Chapultepec (link aqui) para visitar o Castillo de Chapultepec (é só clicar para acessar o link), onde funciona o Museu Histórico Nacional.
Claro, no caminho eu não me cansei de admirar a avenida arborizada, cheia de bancos, gente despreocupada… Nem parece a principal via da maior cidade do mundo.
Dentro do Bosque está a tumba de Los Niños Héroes e tantos outros signos da construção da identidade pátria. E dentro do Museu bota identidade pátria nisso!
Lá era contada toda a história mexicana a partir da Nova Espanha, com muitos objetos pessoais, muita interpretação, imagens e etc… O Castelo já teve muitos usos, inclusive de residência oficial, por isso ainda se conservam muitos objetos sobretudo da era porfiriana. Os jardins são muito bonitos, e o piso superior com a visitação dos cômodos a partir da varanda, que dá vista também para o centro moderno e nervoso da cidade, é um charme a parte.
Chapultepec não quer ser Versailles, nem dá! Mas poderia ser o nosso Versailles latino… Eu adorei. Para chegar até lá tem uma subidona feroz, mas nem me importei em subir a pé (sim, porque dava para subir de trenzinho), pois era tudo lindo!
Ah, detalhe, nem pagamos ingresso: professores! Gentil né?
Sainda do Bosque, no sentido do Museo Nacional de Antropología começamos a discutir que num raio de umas 3 quadras da Reforma dá para a pessoa se distrair uns 2 dias, pois além do Bosque propriamente dito, tem o Castelo, o Museu de Arte Moderna, zoológico, jardim botânico, Museu de Antropologia, obras de arte nas praças, nos muros, nos canteiros da avenida, por todo lado! É um lugar muito bonito mesmo!
No Museu Nacional de Antropologia (link) a gentileza da cortesia do ingresso não se repetiu, tudo bem. Entre os melhores museus do mundo, a fama é justa! O museu é enorme, com aproximadamente 8 mil peças (de tamanhos variados… coisas de 1 grama até toneladas). Com salas especificamente dedicadas a cada região ou civilização do México e isso inclui parte dos EUA, e um acervo de cair o queixo tanto de peças que remontam as civilizações em termos materiais como em termos imateriais (folclore, indumentarias, música, comida, etc…). Saindo nos jardins de cada sala, as exibições continuavam com peças maiores ou réplicas das originais. Tudo numa área gigante, com jardins frondosos e cheios de esquilos no coração da cidade!
Para mim os pontos altos foram as salas Maya, me senti em casa revendo os amigos; Olmeca e suas cabeçonas e claro a sala de Mexica, onde estava o grande calendário Azteca (para essa sala uma palavra apenas: grandiosidade).
Na saída, uma exposição sobre os mayas e o tempo e lojinhas com coisas lindas.
Máquina fotográfica sem bateria, pernas cansadíssimas, era hora de voltarmos para uma descansada no hotel.
Baterias recarregadas, literalmente, e fomos bater mais perna. Agora pegamos o sentido contrário da Reforma, e fomos até o Monumento a la Revolucion (nem imaginei, mas ele tem link, tá aqui ó). No caminho conhecemos dois brasileiros e fomos com eles até lá batendo papo.
O Monumento é lindo, sem comparação com outros similares ou dessa categoria. Na frente tem um pequeno espetáculo de luz, água e cores onde as pessoas estavam curtindo a valer. Aliás, a impressão que tenho é que todos curtem muito os espaços públicos aqui, parabéns!
Delícia de dia, que fechamos com chave de ouro com comida japonesa e claro uma cerveja com clamato!
Amanhã tem mais DF!
Vamos ver fotos?

ceninha urbana na av Reforma, cheia de obras de arte nos seus 12km
cansei e sentei, tá?
Monumento a la Revolución
abóboda interna do Monumento
Monumento refletido no prédio
galera curtindo as luzes e água em frente ao monumento
com a av. Reforma ao fundo
detalhes do monuento do Angel
tumba dos Niños Héroes no Bosque de Chapultepec
jardins do Castillo
portões do Castillo
Pérgolas do Castillo
to fina no Castillo
varanda do Castillo
Varanda
vista da varanda, o interior do Castillo
dobradiça bonitona do Castillo
Castillo
Castillo
Castillo
Castillo
Vitrais no Castillo
varrendo o Bosque
Av Reforma, cheia de obras de arte
Museu de Antropologia
Museu de Antropologia
cê tava achando super moderno ter piercing né? Museu de Antropologia
Meu amigo Maya, Museu de Antropologia
Calendário Azteca, que sonho conhecer! Museu de Antropologia
Museu de Antropologia
fachada frontal do Castillo de Chapultepec
Jarro no Bosque de Chapultepec
escadaria com detalhe para o teto pintado, castillo
varanda do Castillo
mais obra de arte na Reforma
mais Museu de Antropologia
Etiquetas
Mostrar Mais

Posts Relacionados

5 Comentários

  1. Que pena que não tivemos tempo pra visitar naquela oportunidade…mas, como diz que tempo é questão de preferencia,…. voltaremos mais tarde….
    Até chegamos ver por fora e já achamos lindo, imagine entrar. Acredito que vcs ficaram deslumbrados….
    Um breijão e FELIZ NATAL….CONTINUE COLOCANDO QUE CONTINUAREMOS VENDO…..

  2. Oi oi oi!!! Se tem gente que aproveita a vida, são vocês dois. Ótimo texto e ótimas fotos. Aproveitem, pois o mundo acaba amanhã, e eu como sou um coitado, trabalharei amanhã e entraria em férias no sábado, mas se acabar o mundo, viche!!!
    Feliz Natal ara vocês!!!!
    Ivo – Tati – Meg.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar