Europa

Barcelona

Talvez pela familiaridade com a língua, por ter ouvido e visto tantas imagens sobre essa cidade, ou por eles serem realmente competentes na divulgação turística sempre tive vontade de visitar Barcelona. Meu imaginário sobre a cidade girava em torno de burburinho, Gaudí, agitação e tapas!
Visitei a cidade na segunda semana de abril com meus pais, e decididamente eu a amei!
Tudo nela me encantou (ou quase tudo): desde o modernoso aeroporto e estações de metrô que eram limpas, organizadas e elegantes, até as lindas lojas em volta da Praça Catalunya. Nosso hotel era perto das Ramblas (calçadão), e para chegar até ele tivemos que cruza-las quase que completamente… Eu não sabia se arrastava as malas, prestava atenção no mapa e nomes de ruas para não nos perdemos ou se olhava o mar de gente ao meu redor.
Barcelona é um dos destinos turísticos mais populares do mundo. Perde para Paris, claro, mas como é uma cidade menor do que a Cidade Luz, tudo fica mais concentrado e dá a impressão de que turisticamente bomba mais, mas não é verdade. O que é verdade é que a cidade toda (em suas áreas turísticas) parece uma Avenida 25 de Março de tanta gente! Sabe muvuca? Então!!
Mas claro que Barcelona não é assustadora e feia como a 25! Só é cheia como tal. Mas Barcelona é uma cidade moderna, vibrante, orgulhosa de ser Catalã (região da Espanha onde está inserida a cidade. Aparentemente a identidade catalã se sobrepõe à espanhola, e a língua catalã está por toda parte e o espanhol não. Isso me incomodou bastante pois para uma cidade turística desse porte, tudo poderia estar em espanhol também. Me pareceu uma identidade linguística forçada: ou forçamos isso ou perdemos a língua…), e dos seus artistas como Gaudí e Miró. É também uma cidade grande em termos territoriais, banhada pelo mediterrâneo.
Para vencermos tudo isso em pouco tempo (pois um tempo da estadia sempre era dedicado às comprinhas, tendo em vista o que eu ensino pros meus alunos há anos – risos: turista bom é turista que gasta!) tomamos um ônibus que faz um city tour, desses com múltiplas entradas. Custava caro sabe? €23,00 para 24hs por pessoa, mas ele rodava das 10h as 21h e tinha 3 percursos diferentes totalizando umas 4hs dentro do bus.
Valeu a pena, pois pudemos dimensionar muito bem a cidade, nos maravilhar com muitas coisas lindas desde o ponto de vista arquitetônico e urbanístico principalmente. Gaudí me deixou de boca aberta, tão delirante… E a área da praia que recebeu pesados incentivos para as Olimpíadas de 1992 idem. Não queria sair de lá e queria passar a viver na cidade.
A praia é bem meia boquinha, mas brasileiro não vem a Europa para ver praia, né? Mas nos chamou atenção a areia dura e cascalhenta, os top less e as crianças peladinhas na praia.
Era impossível estar em Barcelona e não pensar sobre como vai ficar o Rio para as Olimpíadas e depois delas! É claro que desejar o efeito Barcelona no Rio é hipotético e cruel: as realidades e contextos são muito diferentes, e nenhuma cidade sede de mega evento esportivo soube tão bem se trabalhar e usar o evento em seu favor como Barcelona. Mas dá para sonhar com um Rio com terminais de transporte mais modernos, uma cidade mais inteligente, com áreas revitalizadas, e outras coisas.
Mas teve uma coisa que me incomodou bastante em Barcelona, e me parece uma questão com pouca solucão: existem três tipos de barcelonês: a) aquele que não vê o turista, pois vive fora das áreas turísticas; b) aquele que trabalha com turismo e por isso mesmo explora até onde pode (sim é uma cidade cara, e em termos de alimentação, transporte, ingressos e etc achei mais cara do que Paris – pausa para os leitores pensarem e se absurdarem, risos – para se ter uma idéia para visitar a Sagrada Família em BCN custava €12,50, para visitar o Versailes em PAR eram €9,00. Comparação esdrúxula para alguns, mas para mim não, pois penso no custo de manuntenção da edificação e acervo, segurança, seguro do local e etc… A Sagrada Família é uma igrejona em obras!!! longe de estar pronta.); e c) aquele que convive com o turista mas não trabalha diretamente com ele e visivelmente está cheio dessa gente toda ao seu redor dando claras demonstrações de impaciência.
Alguns dizem que o turismo deve ser uma opção da cidade, decidido coletivamente. Mas sinceramente, algumas cidades não têm escolha, pois o turismo passa a ser uma realidade e uma dependência econômica irreversível. Talvez o que possa surtir algum efeito seja algum tipo de trabalho com os locais, mas não confio muito nisso… Dizem que o parisiense é rude… perto do barcelonês não é nada!
Barcelona me foi assim, diversa, controversa, linda, vibrante, moderna… Quero morar aí, e preciso voltar mais vezes!
Vamos deixar de trololó e vamos às fotos?

Ramblas
Achei que se contasse alguém poderia duvidar: super comum na Europa lavar as calçadas e ruas todos os dias. Vamos economizar água por favor!!!
Plaza Catalunya
Detalhe para a pancinha do anjinho da fonte da Plaza Catalunya! Eu digo que uma pancinha além de estar na moda confere um bonito visual! riso
A Sagrada Família. Mais 80 anos de obras.
Lindo Parque Güell
Mais Gaudí e mais Parque Güell
A lagartixa-símbolo de Gaudí e do Pq Güell
Berceloneta, área de passeios e descanço
Ruelas estreitas do Bairro Gótico
Delírios Sinuosos de Gaudí: La Pedrera
Era só mais uma vista da cidade.
Etiquetas
Mostrar Mais

Posts Relacionados

2 Comentários

  1. Oi querida,
    bem Catrice vc pode encontrar nas drogarias Müller ou Ihr Platz de todas as cidades, essa marca vale muito a pena investir !!!Roc eu compro em uma loja em Braunschweig perto de onde moro, talvez vc encontre em alguma farmácia!!!
    Beijao e se quiser me siga no blog!

  2. O filha…gostei muito da sua fala..concordo em tudo..ela é linda! Recordei Gaudi…ainda bem que comprei uma lindinha lembrança dele p/ não esquecer mesmo..rsrsr
    Eu tbém gostaria de continuar aí em Barcelona..Quem sabe um dia voltaremos…Deixou boas lembranças…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar