América do Norte

Alcatraz, a rocha turística

Hoje, no nosso último dia em San Francisco (sim eu sei que devo um post sobre a cidade propriamente dita, amanhã) visitamos Alcatraz.
Alcatraz que já foi base militar americana (ah vá?), presídio de segurança máxima (pela qual ganhou sua fama) e hoje é parque nacional (link aqui).
Mas antes de falar sobre o passeio para lá, quero falar sobre o que fizemos antes de chegar na ilha. O dia começou com comprinhas, pois no último dia na cidade, não dava para dar bobeira: os últimos presentes e encomendas né?! Risos. Foi legal chegar até o pier (onde tomamos o cruzeiro até a ilha) de cable car (bonde antigo) (sim eles tem link aqui!): que não são confortáveis, nem ágeis, tem filas, são caros (U$6,00), mas divertidos e icônicos. Eu gostei!
O almoço foi no querido Hard Rock Café infos aqui (ok ok eu sei que é clichê, mas seria nossa 3a refeição na área, e esse HRC é cheio de coisas dedicadas ao Janis Joplin – local – e sempre tem um som que eu adoro! curto tsá?) no lindo Pier 39 (link), ao lado de onde embarcaríamos para a Ilha. Estava ventando muito e frio, e isso podou um pouco nossas intensões de passear bastante por lá até a hora de embarcar… Uma pena. Mas tudo bem, o astral do lugar me agrada muito, e mesmo assim gostei de estar por aquelas bandas, mesmo dentro dos lugares.
Nossos ingressos já estavam pagos (infos aqui tá?) e era só embarcar no catamarã, que deu uma volta na ilha, cheio de muitas informações histórias e de fauna e flora sobre ela (viva a interpretação do patrimônio). Chegando lá, um condutor deu novas informações, mas… curiosamente, antes de dar informações perguntou nossas dúvidas (achei estranho, nunca vi isso… acho que ninguém nunca havia visto isso pois ninguém perguntou nada! riso).
Entrando no presídio propriamente dito, recebemos audioguias (em português, viva!) para percorrer por nossa conta todas as áreas dele.
Gostei de observar que as histórias eram narradas, os espaços explicados por sobreviventes a Alcatraz quando prisão: carcereiros e prisioneiros (isso no original em inglês), e percorremos celas comuns, solitárias, cozinha, refeitório, hospital (esse sem qualquer tipo de narração), biblioteca, pátio, setores administrativos, e etc. Foi muito legal.
Eu gostei muito, de verdade. Gosto de entrar nos lugares, de vê-los em suas ambiências, de ouvir as narrações. Amei o fato de como estávamos na ilha a noite, a vista de San Francisco que tínhamos de lá era linda, lindíssima! Adorei ouvir anedotas!
Muito interessante e bem feito mesmo o trabalho interpretativo, de preservação do patrimônio e da memória do espaço ali. Parabéns!
A volta foi tranquila ao hotel, com uma parada para uma sopa no restaurante grego Santorini (link), pertinho do hotel, bastante honesto e saboroso!
Agora é arrumar malas, porque amanhã já pé na estrada para Carmel e Monterey.
vamos ver fotos?

no bondinho – cable car

 

cartazes interpretativos já no Pier, Alcatraz
no catamarã
Presídio
Presídio ao pôr do sol
nas galerias de celas, 3 pisos

 

 

detalhe para um alargador de barras para uma fuga!
celas de solitárias, eram maiores, mas completamente escuras!
manequim de carcereiro
cela regular
Farol da Ilha

 

Administrativo do Prédio
San Francisco vista de Alcatraz
Ruínas de Alcatraz
Detalhes
Entrada do prédio administrativo
cozinha
buraco por onde alguns tentaram escapar
cozinha, dizem que o ranguinho era dos bons
enfermaria do hospital
cardápio servido no café da manhã do último dia

 

 

Etiquetas
Mostrar Mais

Posts Relacionados

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar