Diversos

AirBnB: como foram as 1as experiências

A plataforma mundial de hospedagem AirBnB não é novidade para quem está acostumadx a viajar, mas apenas esse ano é que tive minhas primeiras experiências com ela e vou falar um pouco sobre.

Um dos quartos do nosso espaçoso apê em Santiago

Em setembro estive em Buenos Aires com uma amiga (Oi Carol) e foi então que resolvi usar o serviço de hospedagem por motivos de: grana curta! Sim, o AirBnb é mais barato do que hotel. A Carol foi a encarregada da seleção das melhores opções que coubessem no nosso bolsinho de estudantes, mas não sem antes preencher seu cadastro. Cabe dizer que no AirBnb tanto os estabelecimentos/proprietários quanto os hóspedes são avaliados, e sim um proprietário pode te recusar.

Cozinha mega equipada, mas em Mendoza! 🙂

Em Buenos Aires havia uma incrível gama de opções, em que pese que no AirBnb você pode ficar em um quarto de uma residência ou escolher uma só para você. Queríamos um espaço só nosso e nessa cidade havia possibilidades múltiplas em diferentes bairros da cidade. Ponto!

Sorry, não tirei foto do studio de Buenos Aires, esse é o banheiro em Santiago

Feita a escolha, decidimos qual seria a forma de pagamento, sim via cartão de crédito internacional liberado para compras em sites estrangeiros, e ainda por cima pudemos parcelar 🙂 Viva! orçamento estudantil agradece. Então já recebemos e-mail da proprietária do studio escolhido para dar as boas vindas, saber do horário de chegada para deixar a chave e etc. Chegando em Buenos Aires  fomos recebidas no prédio pelo porteiro que nos deu chaves e instruções básicas do uso do lugar. A primeira impressão foi de que as fotos contidas no site do AirBnb eram muito mais atraentes do que a realidade mostrava. E essa impressão foi concretizada quando nos demos conta de que havia pouca coberta e utensílios de cozinha insuficientes para duas pessoas. Então, imediatamente entramos em contato com a proprietária que no dia seguinte se encarregou de suprir essas carências. Um problema que enfrentamos lá era que não havia sacolas de lixo para trocar (ficamos 7 dias) nem papel higiênico extra. O papel foi reposto no último dia depois que já havíamos comprado, mas a sacola foi mais difícil porque Buenos Aires baniu seu uso no comércio, então as opções eram acumular lixo ou comprar um fardo de sacolas. Acumulamos um pouco…

Minha parceira de viagem para Buenos Aires – e tantas outras! 🙂

Como considerei a experiência boa de maneira geral, em outubro quando fui a Mendoza e a Santiago com minha mãe e tia (oi lindezas) achei que era uma boa continuar com o AirBnb pois a viagem seria longa, 10 dias. Então com me cadastro atualizado me coloquei a buscar opções. Em Mendoza não havia muitas, confesso, mas em Santiago sim. Ainda assim pude escolher bem em ambas cidades.

de Mendoza

Em Mendoza devo dizer que o apartamento de dois quartos era muito melhor do que as fotos do AirBnb! E era super equipado, além do mais a locatária era uma querida, que nos recebeu calorosamente com mil dicas e disponibilidade em ajudar com tudo. A exemplo da de Buenos Aires, esta também esteve em contato conosco antes via whatsapp, inclusive ajudando com indicações de agências para os passeios às vinícolas, tudo muito cordial e prestativo.

Opções de livros e jogos no apê em Mendoza
Mapas e dicas em Mendoza, muito amor.

Em Santiago, fomos recebidas na recepção do prédio pelo porteiro com um envelope com todas as dicas e senha necessárias. Como eu já esperava, ali a atenção foi um pouco mais fria do que na Argentina, mas não posso me queixar de que tenha sido negligenciada. O apartamento era muito fiel ao que indicava no site do AirBnb, mas eu acho que faltava uma boa duma faxina. Não que fosse sujíssimo, mas lá em casa gostamos de tudo impecavelmente limpo, sabe? E como esse tipo de serviço não contempla serviço de quarto, ao longo de uma semana ele ficou mais sujo do que gostaríamos pois de partida não era esse seu ponto forte.

A bem equipada cozinha em Santiago

De maneira geral eu achei a experiência com o AirBnb excelente e repetiria com certeza, sabe por que? Vou explicar: dá para ficar mais a vontade, como em casa; dá para economizar não apenas na hospedagem em si, mas também com alimentação; e não apenas na economia, as vezes se chega cansadx de passeios e no fim do dia abrir uma garrafa de vinho e comer algo rápido é tudo o que se quer, e nem digo preparar altas refeições – uma salada completa, um guisadinho de ervilha, omelete, queijos e frutas secas… depende muito do que o lugar ofereça, mas tem mil coisas simples, econômicas, rápidas e saudáveis para se preparar quando há cozinha disponível. E para isso os apês usualmente contam com sal, azeite, pimenta, açúcar, chá e outros temperinhos que outros hóspedes deixaram. Certamente você vai deixar alguma coisa também. hahahah. Além disso, como se tem contato com o locatárix anteriormente dá para ir pegando dicas e informações pontuais antes e durante a viagem. Bem, eu achei que super valeu a pena, e estou bastante disposta a novas experiências.

As parceiras de viagem pelos Andes! Quero voltar!

Mas para quem ainda não conhece o AirBnb eu quero dizer que é importante pesquisar com calma, eleger a região da cidade onde quer ficar, investigar a avaliação do proprietárix e os comentários de outros hóspedes :). Dá tudo certo, quase sempre.

Curtiu? Comenta! Compartilha! Faz uma blogueira feliz com a sua interação.
Já segue o @comendochucruteesalsicha no Instagram? Lá você acompanha tudo em tempo – quase – real.
E você já curtiu a página do facebooK? Curte lá!
Para receber nossos posts em primeira mão, inscreva-se no nosso feed (ali em cima, à direita), sempre e apenas quando os posts forem publicados você receberá o link em seu e-mail!

Salvar

Mostrar Mais

Posts Relacionados

10 Comentários

  1. Oi Poli, tive duas experiências e também Concord o com você que é mais agradável e a gente fica mais a vontade, e a questão do lanche também ajuda na economia.
    Bjs

  2. Acho uma excelente experiência o AirBnB. Já fiquei em 3 e concordo com você em relação às comodidades
    Em algumas cidades carerrimas a unica maneira de irmos é ficar nesse tipo de hospedagem.

  3. Oi, Poli!

    Super bacana o post.
    Minhas experiências com o Airbnb foram excelentes. É isso mesmo. Ler comentários dos hóspedes anteriores, traçar distância do imóvel dos principais pontos de interesse na cidade, proximidade a pontos de ônibus, mercado.
    No mais, só aproveitar a estadia.
    Tão bom como nossa casa.

    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Close
Close