O que fazer em uma conexão em Buenos Aires – Parque de la Memória

Eu já andava cabisbaixa por ver que o ano estava passando e eu não avistava uma visita a Buenos Aires – uma das minhas favoritas no mundo. Mas uma conexão de 6 horas na cidade me animou a fazer um pequeno roteiro! Viva!Em primeiro lugar quero dizer que sempre prefiro voar para e do Aeroparque, para conexões em Buenos Aires é sempre melhor. Ele fica muito mais próximo ao centro e isso para mim significa economia de tempo e dinheiro (no taxi), e nesse caso facilitou bastante o deslocamento na conexão.O meu plano furou, claro! Eu desconsiderei o tempo de traslado entre o aeroporto e o centro e vice versa, mas ainda assim valeu a conexão em Buenos Aires, pois aproveitamos bem o tempo.[SE CLICAR SOBRE AS FOTOS ELAS FICAM GRANDES!]A intenção era visitar o Museu Beatle, na Calle Corrientes (http://www.thecavern.com.ar/mb_home.php)  Ao chegar lá, fomos almoçar pertinho. Mas o almoço demorou, o vinho estava gostoso e quando olhei no relógio já tinha ficado sem tempo. Tudo bem, sempre voltaremos a Buenos Aires.P1050623Da Corrientes, fomos caminhando até o Puerto Madero, um lugar que eu adoro de verdade. Em tempo justo para tomar um sorvete de doce de leite (Light! Hahaha) do Fredo e de lá tomar um taxi até o Parque de la Memoria. Na verdade, deveria ter almoçado no Puerto Madero…IMG_4457IMG_4456O Parque fica pertinho do Aeroporto (5 min de carro, e uma pernadinha em linha reta a pé), e vale muito a pena! http://parquedelamemoria.org.ar/P1050661Ele se dedica a expor em longos murais os 30 mil nomes de mortos pela ditadura (de uma forma mais ampla, o como se encorajam os argentinos em dizer, o Terrorismo de Estado). Separados em ordem alfabética e por ano, é assustador! E alguns anos (1975, 1976 e 1977) as listas são enormes! Algumas mulheres tem em destaque o fato de estarem grávidas (no caso da Argentina, ficou marcado na história o fato de os militares ‘adotarem’ filhos de presas políticas nascidos nas prisões, sem nunca revelarem as verdadeiras identidades das crianças. Hoje existe até um programa nacional de verificação por DNA para quem desconfia de sua história pessoal. É muito horror!). Para todos constam as idades, e alguns são realmente muito jovens, crianças inclusive.P1050646Além disso, o parque tem outras esculturas, bastante área verde. De frente para o Rio da Prata, uma escultura chama atenção: a de um menino solitário dentro d’água: ela representa um adolescente de 14 anos que foi preso e jogado no rio, naquele mesmo lugar em. Essa era outra prática terrível dos milicos argentinos: jogavam presos vivos no rio, nos chamados ‘vuelos de la muerte’.P1050672Debruçado ao rio, o por do sol é bonito, mas o ambiente é pesado, sabe?IMG_4481Existe áudio guia e visitas guiadas. Consulte.IMG_4472IMG_4471O Parque é parte de um grande conjunto de espaços dedicados a rememorar esse triste capítulo da história local, e de toda américa latina (quem de nós não passou por uma ditadura? Quantos de nós tem coragem de chamar de terrorismo de estado? De listar as vítimas? Poucos!)P1050628Aqui tem outros posts sobre Buenos Aires:Alguns Cafés Porteños: http://www.comendochucruteesalsicha.com.br/ads/cafes-em-buenos-airesRoteiros que já fiz: http://www.comendochucruteesalsicha.com.br/ads/buenos-aires-visita-6-o-restantehttp://www.comendochucruteesalsicha.com.br/ads/buenos-aires-visita-6-um-dia-em-buenos-aireshttp://www.comendochucruteesalsicha.com.br/ads/buenos-aires-de-novo-agora-com-alunoshttp://www.comendochucruteesalsicha.com.br/ads/buenos-aires-sempre-necessaria Já curtiu a Fan Page do Blog no Facebook? https://www.facebook.com/ComendoChucruteeSalsichaE já segue no Insta? @comendochucruteesalsicha
Comentários
  1. 3 anos ago
    • 3 anos ago
  2. 2 anos ago
    • 2 anos ago

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*