Espacio Memoria – Buenos Aires

O Espacio Memoria é definitivamente um lugar fora dos roteiros turísticos convencionais de Buenos Aires, é uma instituição gerida pela secretaria nacional de direitos humanos que se dedica ao fomento da memória dos presos, desaparecidos e mortos pelo chamado terrorismo de Estado impetrado pela ditadura cívico militar argentina (1976-83).
Originalmente era uma escola de formação da marinha, e durante os anos de chumbo o lugar que se chamava ESMA (Escuela Superior de Mecanica de la Armada) serviu como prisão clandestina. Hoje o Espacio Memoria conta com 12 hectares de área totalmente destinado à causa dos direitos humanos. São diferentes instituições ali alocadas com uma densa programação cultural e educacional à disposição e totalmente gratuita.

Deste estacionamento chegavam os novos presos e também saíam para os voos da morte.

A cereja do bolo de todo o Espacio Memoria são os passeios denominados Recorrido Histórico que é, como o nome indica, um recorrido guiado por todo o espaço com contextualização histórica, política, geográfica, econômica e social do período em que esteve sob comando dos militares.

Parece realmente incrível, mas ali nasciam – e eram sequestradas – crianças (40 no total)

E o outro é a visita ao que se chamava Casino de Oficiales que era onde se situava propriamente a prisão, sendo um passeio guiado com muitos detalhes dos diferentes usos que o espaço tinha no que dizia respeito às prisões, torturas, partos, voos da morte, sequestro de bebês, trabalhos forçados e etc.

São muitos vídeos além do guia presente.

De maneira geral, embora o lugar seja especialmente bonito, não é um passeio agradável. Ele é denso e profundo, emocionando a todos, mas bastante necessário para a educação sobre os direitos humanos e para honrar a memória dos que ali estiveram contra sua vontade. Além do mais, essa é uma ferida ainda aberta na sociedade argentina, e o Espacio Memoria não é o único centro de prisão política aberto a visitação no país. E além do mais, conhecer um pouco sobre isso é importante para entender um pouco da organização social do país (outros dois temas flagrantes para isso são a imigração e o peronismo, para se ter uma ideia, nesta viagem eu fiz 5 passeios guiados e em 4 falou-se nesses 3 temas).

Exposições temporárias e maquetes.

As visitas devem ser agendadas e todos os detalhes e um montão de outras informações estão no link no começo do texto.

São muitos edifícios, todos eles dedicados aos direitos humanos

Curtiu? Então Comenta! Compartilha! Faz uma blogueira feliz!
Já segue o @comendochucruteesalsicha no Instagram? Lá você acompanha tudo em tempo – quase – real. E você já curtiu a página do facebooK? Curte lá!

Sinalização na calçada. Outros pontos da cidade têm essa placa.

SalvarSalvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*